Oroch, a primeira picape da Renault

Renault Duster Oroch Dynamique (22) (1320 x 881)

 

O nome é estranho. Tanto que foi a primeira pergunta na coletiva de imprensa. O que significa Oroch? É uma pequena tribo do sul da Rússia, na divisa com a Ucrânia, e que está em extinção. Existem apenas 500 habitantes e o nome, segundo a Renault, leva à conotação de “força e robustez”.

Bom, se o nome é um tanto diferente, a nova picape do mercado passa uma impressão completamente oposta. Pode-se dizer que a marca francesa acertou na receita. Apresentada como conceito no Salão do Automóvel de São Paulo em 2012, a Oroch inaugura um novo degrau no segmento de picapes que representa 13% do mercado brasileiro, com aproximadamente 450 mil veículos vendidos em 2014. E, com ela, a Renault quer ampliar sua participação no mercado brasileiro para 8%.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Oroch fica exatamente entre as picapes compactas, como Fiat Strada e Volkswagen Saveiro, e as médias, como a Chevrolet S10 e Toyota Hilux, por exemplo. E acaba levando as vantagens de ambas: é um pouco maior que as compactas, o que facilita a vida de quem usa esse tipo de veículo na cidade; mas, a cabine dupla dela tem quatro portas e espaço para cinco pessoas como as médias. De quebra pode carregar até 650 quilos, incluindo nessa conta os passageiros.

Renault Duster Oroch Dynamique (4) (1320 x 881)

É a primeira picape da Renault no mundo. Projetada no Brasil, é também um modelo global que será exportado para toda a América Latina a partir do primeiro semestre de 2016. Dependendo de seu desempenho nesses mercados e com o dólar nas alturas aqui entre nós, tem chances até de atravessar oceanos, segundo a montadora.

Foi baseada sobre a plataforma do SUV Duster. Aliás, é exatamente igual até o fim da porta dianteira. Dalí para trás, além das barras longitudinais no teto e do santoantônio, é que vieram as grandes modificações. Ou seja, é totalmente nova. Toda a estrutura traseira foi reforçada para suportar o maior peso que pode carregar, a distância entreeixos foi aumentada em 15 centímetros e o comprimento em 36, ficando com 4,69 metros no total. Alterações que permitiram manter o espaço interno do Duster e que a caçamba, de 1.35 m, tenha um volume de 683 litros. Para quem quiser aumentar o espaço de carga, tem disponível como acessório um extensor de carroceria (idéia copiada da Fiat Strada) que aumenta o comprimento da caçamba para 2 metros e amplia em mais 306 litros o volume. Com ele, dá até para levar alguns modelos de Harley Davidson.

 

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

A suspensão traseira é independente, tipo multilink, igual à da versão 4×4, mas específica para a picape, em termos estruturais, para que possa levar mais carga, sem problemas.

No design, a Oroch é exatamente igual ao Duster na parte dianteira, enquanto que a traseira, muito bem resolvida, é específica dela. Inclusive com novas lanternas e pára-choque. E, pode-se dizer, ficou com um conjunto muito agradável e que certamente irá agradar aos fãs desse tipo de veículo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Serão três versões no começo: Expression, com motor 1.6, e Dynamique, mais sofisticada, com 1.6 ou 2.0. O câmbio é manual em todas as versões. Só que tem 5 marchas com motor 1.6 e 6 com o 2.0. Por enquanto, a Oroch só será disponível com tração dianteira. A 4×4 virá somente no ano que vem.

Renault Duster Oroch Dynamique (49) (759 x 559)

Duster Oroch Dynamique 2.0

O câmbio automático, um equipamento que está sendo cada vez mais procurado nesse tipo de veículo, também não veio agora. Na Renault ninguém fala, mas imagina-se que estão esperando a chegada de um mais moderno, talvez com 6 marchas, pois, com o atual de 4 marchas, o desempenho da Oroch certamente seria comprometido quando carregada.

Por falar em desempenho, minha curiosidade maior era na versão 1.6, 16 válvulas, já que os 115 cavalos com etanol e 110 com gasolina que ele fornece, não parecem tantos para um veículo de 1.292 quilos e que pode carregar mais 650, totalizando quase 2 toneladas. Mas, com a relação de diferencial encurtada em 7% em relação à do Duster, até que ela se vira bem. Com três adultos a bordo, anda com tranquilidade. Só que, em subidas, dá para sentir que, quando estiver carregada, vai ser preciso utilizar mais vezes o câmbio em reduções.

Já com o motor 2.0, com bons 148 cavalos com etanol e 143 com gasolina, além de 5 quilos a mais de torque, câmbio de 6 marchas e diferencial 4% mais curto em relação ao Duster, a história é outra. Ela responde prontamente e é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em menos de 10 segundos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Boa surpresa é a suspensão. Dá para dizer que a Oroch está mais para automóvel do que para picape. A suspensão dianteira é um pouco mais rígida, bem como a traseira. Mas, filtra as irregularidades com competência e consente um rodar agradável, mesmo quando a picape está vazia. O melhor, porém, é o comportamento em curvas. Apesar da altura do solo da Oroch (20,6 cm), que permite que ela se vire bem até em um fora de estrada, mesmo em curvas fechadas, inclina pouco a carroceria e tem um comportamento bem neutro.

O acabamento interno é bom, bem como o espaço para as pessoas. Quem vai atrás é brindado com uma boa distância para as pernas. Mas, o encosto do banco traseiro está mais reto por causa da parede posterior da cabine (de 23 graus de inclinação no Duster, a Oroch ficou com 20) para permitir uma capacidade de carga maior. O resultado é que acaba cansando mais rapidamente quem vai ali.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Apesar de vários acessórios, como alargadores de para-lamas ou proteção frontal com faróis integrados, é bem equipada de série. Principalmente a versão Dynamique, que vem até com o sistema multimídia Media Nav Evolution 2.0, com tela de 7 polegadas. Intuitivo, tem GPS com informações on-line de trânsito e vários outros recursos. Porém, está colocado em uma posição péssima: abaixo das saídas centrais do sistema de ventilação. Para enxergar, o motorista é obrigado a olhar para baixo, perdendo totalmente a visão do que vai à frente. Está mais do que na hora da Renault passar o sistema para a parte superior do painel, um lugar bem mais seguro.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Apesar de já ter sido lançada oficialmente, a Oroch estará nas concessionárias, a partir da próxima semana, somente para test-drive. No dia 10 de outubro será iniciada a pré-venda, enquanto que as vendas oficiais começam apenas em novembro.

DSC_0184 (1452 x 972)

Preços:

Oroch Expression 1.6                                                       R$ 62.290

Oroch Dynamique 1.6                                                       R$ 66.790

Oroch Dynamique 2.0                                                       R$ 70.790

Oroch Dynamique 2.0 (revestimento de couro)           R$ 72.490

 

Lista de equipamentos Duster Oroch

Ficha Técnica Duster Oroch

 

Emilio Camanzi (*), Rio de Janeiro, RJ

 

Fotos: Emilio Camanzi  e Divulgação Renault

 

(*) Viajou a convite da Renault do Brasil

6 comentários em “Oroch, a primeira picape da Renault

  1. Olá boa noite, é preciso de conhecer de perto.
    A ficha técnica é muito boa,mas preciso de chegar perto.
    Vamos estudar mais.

    1. Caro Gilberto
      Acredito que eles tenham pensado nisso e estejam esperando apenas o momento bom para eles para lançarem o modelo.
      Um abraço

  2. A Renault esta cometendo 1 erro grave em sua linha em geral (exceto Fluence) e pelo visto mantem o erro na Oroch. O tão falado e afamado multimidia da linha Renault na verdade so serve para quem estiver assentado no chão, pois é tão abaixo do nivel do volante que obriga ao motorista olhar bem pra baixo. GPS nem pensar, porque não ha como seguir um GPS olhando pra baixo e se sujeitar a um acidente por distração. É o unico carro que conheço que possue a entrada de ar em cima e a multimuidia em baixo. Os carros ate vem com multimidia por cima do painel, como VW Up, citroen, MBB, Ford, etc, inclusive o Renault Fluence. Pq a Renault insiste em manter a multimidia de sua linha bem embaixo no painel? É so inverter a moldura. As entradas de ar passam pra baixo e a tela pra cima, OU, como no Fluence, por cima do painel. Ourtro problema da Oroch é ter cometido a mesma gafe das pickups em geral, que para aumentar miseros cms na carroceria, colocam o banco de tras vertical, tornando incomodo qquer viagem mais longa. O jornal Estado de MInas hoje ja fez este comentario sobre encosto vertical.

    1. Caro Antonio
      Seus comentários estão certos. Também critiquei a colocação do Multimidia. Quem sabe, de tanto a gente falar, nos proximos modelos eles mudem isso.
      Abraço

  3. Esta plataforma da Dacia parece ser a “tábua de salvação” da Renault Brasil pois rendeu mais um automóvel e esta Oroch, um Duster com caçamba e com o acabamento e simplicidade dos demais modelos da Renault Brasil, deve vingar pois o carro parece ter valentia para aguentar o terrenos brasileiro e preço.

Deixe seu comentário: