NA TERRA – Esticando para não quebrar

Rebocar um jipe quebrado da trilha até a oficina não é uma situação rara quando se sai para curtir um bom off-road. Por isso, é muito importante ir sempre com outros companheiros. Mas, nem por isso, você deve deixar de ser prevenido levando uma boa corda ou, melhor ainda, uma cinta de reboque. Vai que é o seu que quebra e ninguém da turma tem?

Porém, fique esperto. Não é só amarrar a corda ou engatar a cinta nos ganchos e sair por aí puxando, sem nenhuma preocupação. A primeira coisa a fazer é combinar com o motorista que vai rebocar o seu carro, como fazer. O certo é esticar a corda ou a cinta e só depois disso começar a acelerar para rebocar o companheiro, mantendo a corda ou a cinta esticada para evitar trancos que podem provocar o rompimento da mesma.

Nessa hora, também é muito importante a ação do motorista que está sendo rebocado, que deve manter uma leve pressão no freio, sem exageros, só para manter o conjunto esticado. Se tiver que encarar uma descida, é ele quem deve “segurar” o carro com o freio. Se o lugar tiver muitos obstáculos, é preciso, também, tomar cuidado para que o carro que está sendo rebocado não “pule” para frente, folgando a corda ou a cinta. Se isso acontecer, buzine para o companheiro rebocador, para que ele pare e comecem novamente o processo de esticar a corda ou a cinta para evitar os trancos. E, claro, ao chegar a uma estrada de terra ou asfalto, o “rebocado” deve pisar levemente no freio para manter a corda ou cinta esticadas, também evitando os trancos nas retomadas de velocidade do “rebocador”.

Claro que é um processo lento e chato. Mas, manter o conjunto esticado, sem dar trancos, evita a quebra e, claro, o tempo perdido ao ter que emendar a corda ou a cinta, o que nem sempre é possível. E aí o bicho pega!

 

 

Fotos: Vania Camanzi

Deixe seu comentário: