Mais um que quer ser brasileiro

Audi Q2

Todo mundo quer um pedaço desse bolo e a Audi não poderia ficar de fora. Afinal, dentro da ampla linha de SUVs que fabrica, só faltava um compacto, segmento voltado aos jovens e que anda em alta no mundo todo. E chegou o Q2, que, apesar de ter sido lançado no Salão de Genebra (que vai até domingo), só começará a ser vendido na Europa em setembro.

Planos para o Brasil? Sim, afinal usa a mesma plataforma MQB do Volkswagen Golf geração VII e do Audi A3 Sedan, que são fabricados em São José dos Pinhais, e produzi-lo também não seria um problema. Com seus 4,19 metros de comprimento, é um concorrente direto do Jeep Renegade (4,242 m) e do Honda HR-V (4,294 m), que estão driblando numa boa a crise em nosso mercado. O que anda atrapalhando os planos é o dólar nas alturas, que chega até a inviabilizar sua importação, pois com os níveis atuais do câmbio, viria num preço muito próximo do Q3.

A161028_medium (1754 x 1023)

Mas, vamos ao Q2. Com linhas que seguem a mesma filosofia de design da marca, como a grande grade característica da Audi, tem um conjunto do tipo musculoso que agrada. Um detalhe marcante é a cobertura em alumínio da coluna C, que forma uma espécie de junção das janelas laterais com a traseira. Internamente, o destaque fica por conta do quadro de instrumentos virtual, além de head-up display, sistema de entretenimento MMI com Audi Connect. Os equipamentos de segurança à disposição do Q2 também são vários, como o Audi pré sense front assist, que pode evitar colisões com pedestres ou veículos; o controle de velocidade adaptativo com a função stop & go e o assistente de congestionamento, sistemas precursores da direção auto-pilotada.

A161021_medium (1754 x 1169)

Na Europa, o Audi Q2 estará disponível com motores a diesel (TDI) e a gasolina (TFSI), com potências que vão dos 116 aos 190 cavalos. Em todas as versões, o câmbio é o S-tronic de dupla embreagem com sete marchas, enquanto que a transmissão integral quattro é oferecida a partir do modelo com motor de 150 cavalos. O Q2 também pode ser equipado com direção progressiva, suspensão esportiva com controle de amortecedores (opcional) e sistema Drive Select que gerencia a resposta do motor e do câmbio, nos modos econômico, normal e esporte.

A161025_medium (1754 x 1240)

Se vier a ser fabricado no Brasil, é muito provável que o Q2 venha a usar o mesmo motor 1.4 turbo TFSI flex, de 150 cavalos, que já equipa o Audi A3 Sedan e o Volkswagen Golf paranaenses. Existe, também, a hipótese de uma versão de entrada com o motor 1.0 turbo de três cilindros que equipa o up! TSI, mas com uma potência em torno de 120 cavalos. É torcer para acontecer.

 

Fotos: divulgação Audi

Deixe seu comentário: