O ônibus do futuro já chegou

20160718_9be9bd66fb234fc79c3b598af07c541d_future-bus-2

Carros que andam sozinhos já é quase uma realidade. A Mercedes-Benz promete que os caminhões autônomos estarão operacionais na Europa e Estados Unidos até 2025. Faltavam os ônibus. Ela acaba de apresentar o primeiro ônibus urbano de condução autônoma do futuro. O Mercedes-Benz Future Bus com CityPilot rodou, pela primeira vez de forma autônoma, numa rota de aproximadamente 20 quilômetros, nas proximidades de Amsterdam, na Holanda.

A experiência foi feita dentro de um trecho da maior linha de BRT (Bus Rapid Transit) da Europa e é o primeiro resultado de um investimento de 200 milhões de euros feito pela Daimler nos ônibus da marca. O veículo experimental anda a velocidades de até 70 km/h, com precisão de centímetros nos pontos de embarque e semáforos. O Future Bus arranca automaticamente, atravessa túneis, freia diante de obstáculos e pedestres e se comunica com os semáforos. O motorista, como acontece nos carros e caminhões autônomos, continua presente e monitora o sistema. Mas, acaba tendo uma tarefa muito mais fácil do que antes, ou seja, diminui seu estresse no dia a dia.

O novo sistema CityPilot é um desenvolvimento do Highway Pilot usado para caminhões autônomos nas estradas. Ele permite que os ônibus andem de forma parcialmente autônoma em faixas especialmente demarcadas, tornando o transporte mais seguro, eficiente e produtivo. O Future Bus é, também, o primeiro passo para fornecer informações para desenvolver sistemas de propulsão sem emissões de gases, automação parcial das funções de direção de acordo com as legislações específicas de cada lugar e a interconectividade entre o ônibus e as infraestruturas viárias, com o BRT.

Com 12 metros de comprimento, o Future Bus foi baseado no modelo Citaro da Mercedes-Benz, só que com um design futurista. O interior é amplo e iluminado. Com piso baixo, ele é dividido em três áreas distintas: a de “serviço”, que fica na frente junto ao motorista; a “expressa”, no meio e destinada a pessoas que farão pequenos percursos e ficam em pé para favorecer o fluxo de passageiros; e, na parte traseira, a “sala” para os passageiros que ficam mais tempo a bordo e onde tem até carregadores sem fio para smartphones. As passagens são do tipo eletrônico que eliminam a venda e a conferência por parte do motorista. Ele, por sua vez, recebe todas as informações em um grande painel digital à sua frente.

20160718_6d93a6d697da4b649afb679f11087262_future-bus-6
20160718_191a020ccb3c448297ba8c3e3795d7d9_future-bus-1
20160718_82eea039e0cc4fb6a86f62312446bc10_future-bus-7
20160718_8447bf7f24034800862736cd214620c7_future-bus-8
20160718_23709d06e5f447b3be2e6fd11f72b285_future-bus-5

Para uma maior segurança, o Future Bus reconhece se a via é adequada para a condução autônoma e informa ao motorista, que precisa apenas apertar um botão para ativar o sistema. Uma condição fundamental é não pressionar nem o pedal do acelerador nem o do freio, além de não movimentar o volante, senão desarma o sistema. Um detalhe importante é que o motorista sempre terá a responsabilidade da condução e poderá assumir o comando a qualquer momento.

A “pista de testes real” do Future Bus, foi no trecho que liga a cidade de Haarlem, em Amsterdam, ao aeroporto de Schiphol, composto de várias curvas, passagens por túneis e semáforos. Para “orientar” o veículo, foram instalados semáforos especiais: duas luzes vermelhas significam “pare”; duas brancas, uma acima da outra, significam “siga”; e, quando o veículo arranca, segue a faixa por meio de um sofisticado sistema de câmeras. Além disso, o veículo se comunica via WiFi com a infraestrutura da via, recebendo informações sobre o status dos semáforos, permitindo até se aproveitar de uma “onda verde” para ganhar tempo.

O ônibus também chega ao ponto de parada de forma automática, para, abre e fecha as portas e volta a andar. Ao frear e parar em um semáforo com faixa de pedestres, ele identifica a passagem de todos e, somente depois que o sinal abre e a via está livre, é que retoma ao movimento. Um sistema anti-colisão com radar fica permanentemente ativo e freia o ônibus automaticamente caso surja algum obstáculo à sua frente.

Segundo os especialistas, há atualmente cerca de 180 sistemas BRT em todos os continentes, com uma frota total de aproximadamente 40 mil ônibus, transportando 30 milhões de passageiros todos os dias. Claro que, para a implantação de um sistema moderno, prático e eficiente desses, é preciso uma infraestrutura adequada e cultura popular para que funcione com toda a segurança. Uma realidade que, pelo que a gente vê por aqui, ainda vai demorar muito para chegar entre nós.

Veja no vídeo abaixo como funciona o Future Bus:

 

Fotos e vídeo: divulgação Mercedes-Benz

Deixe seu comentário: