NOTÍCIA – Esse diz que entende até “mineirês”

Você está dirigindo e resolve telefonar. O carro é equipado com Comando de Voz e você não precisa tirar as mãos do volante nem deixar de prestar atenção à via. É só pressionar o botão no volante e falar: “Ligar para Maria do Carmo”, que o equipamento faz a ligação. Tudo muito seguro! E seria uma maravilha se, em muitas das vezes, a voz do sistema não voltasse com uma pergunta com um nome diferente, do tipo: “Ligar para Henrique dos Santos”? E aí, o mais comum, é o motorista desfilar uma saraivada de impropérios à “pobre da moça” que está tentando fazer o trabalho dela…

Essa é uma das coisas mais irritantes em um automóvel equipado com o sistema de reconhecimento de voz. É claro que vários fatores influem, como o barulho interno, gente conversando, etc. Mas, o principal são as distorções nas palavras que nem todos os softwares conseguem interpretar.

Segundo a Ford, o sistema Sync que equipa todos os novos carros da marca reconhece até sotaques regionais. Por meio de algoritmos, o software consegue se ajustar ao sotaque e padrão de fala do usuário e salva essas informações na memória dele quando o carro é desligado. Se outro motorista usar o carro, o sistema automaticamente capta as informações do segundo usuário e cria um arquivo próprio para ele também. A programação considerou os principais grupos fonéticos brasileiros do Sudeste, Sul, Nordeste e Norte, e identificou as nuances existentes entre eles, como, por exemplo, o modo peculiar de falar dos cariocas, paulistas e mineiros.

Entre as vantagens da evolução do Sync, que atua com comando de voz também para controlar o áudio, GPS e ar-condicionado, é que agora basta dizer apenas uma parte do nome de uma rua que ele a reconhece imediatamente, ao contrário do que acontecia antes, quando era preciso falar o nome exatamente como está no mapa.

Tomara que os ouvidos da “moça” agora passem a receber também elogios…

 

Foto: divulgação Ford

Deixe seu comentário: