Jaguar, retorno eletrizante!

Ela ainda é pouco conhecida, mas já está na segunda temporada mundial e será disputada em 10 países. O brasileiro Nelson Piquet Jr. foi o campeão da primeira temporada e, nesta, além dele, tem mais dois pilotos nos representando, Lucas Di Grassi e Bruno Senna. É a Formula E, a categoria para carros monopostos movidos à eletricidade, que começou em 2014. Em resumo, a Fórmula 1 dos carros elétricos.

Jag_Formula_E_Image_151215_01

E é exatamente nessa nova categoria mundial, organizada pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA), que a Jaguar anunciou seu retorno oficial às pistas de competição, com uma equipe própria. Como a segunda temporada está em plena realização (ela começou em outubro e vai terminar em junho do ano que vem), a Jaguar irá participar da terceira temporada que irá começar no segundo semestre de 2016, em Montreal, Canadá.

A ideia da Jaguar de entrar nessa competição é a de desenvolver novas tecnologias para futuros motores elétricos e baterias, a serem usados em carros normais de produção, tendo as pistas de corrida como um grande laboratório. Segundo a Jaguar, nos próximos cinco anos, irão ocorrer mais mudanças nos automóveis, tornando-os mais conectáveis e sustentáveis, do que ocorreram nas últimas três décadas.

Um dos parceiros da nova equipe será o departamento de engenharia avançada da Williams (a equipe de Felipe Massa), que já colaborou com a marca inglesa no desenvolvimento do conceito híbrido C-X75. Os detalhes definitivos da nova equipe e os pilotos oficiais serão apresentados um pouco antes do início da temporada 2015/2016.

Veja, também, o vídeo da Jaguar:

Fotos e vídeo: divulgação Jaguar

3 comentários em “Jaguar, retorno eletrizante!

  1. Sei não se essa Fórmula E vai fazer sucesso: ‘Carro de corrida’ que não faz barulho nem tem escapamento?

    1. Concordo. Vi algumas corridas. Além de baixa velocidade, o som dos carros é desanimador. Parece um barbeador philshave. Vamos ver o futuro como ficam.

  2. Sensacional o vídeo. E ótima a ideia de uma competição nesse nível com carros elétricos. A TV podia transmitir, hein? Emílio, e quais são as características das provas? Quantas voltas? Tem “abastecimento” ou o carro tem autonomia pra uma prova inteira? Quais as velocidades máximas atingidas por esses carros? Abraço!

Deixe seu comentário: