DICA SEGURA – Apoio de cabeça e cinto três pontos, só de fábrica!

O setor automobilístico tem investido cada vez mais em segurança. Não é para menos: a frota aumenta e o trânsito fica cada vez mais feroz. Os itens básicos e fundamentais continuam sendo o apoio de cabeça e o cinto de três pontos. Porém, alguns carros antigos não possuem os cintos de três pontos, nem os apoios de cabeça no banco traseiro. Mesmo alguns novos possuem um ou outro, ou nenhum dos dois equipamentos no meio do banco traseiro, já que ainda não são obrigatórios por lei. Apenas o cinto subabdominal é obrigatório.

Como a questão da segurança, felizmente, está entrando na ordem de prioridades do consumidor brasileiro, muitos que possuem veículos sem o equipamento, querem fazer a adaptação. Cuidado, não é tão simples assim!

Se o veículo for antigo, mas tiver um local para fixar o terceiro ponto do cinto na coluna, tudo bem. Caso contrário, não dá pra fazer o furo e colocar o parafuso. Nem no caso do cinto central do banco traseiro. Numa batida, as partes não projetadas especificamente para isso não conseguirão suportar o peso do corpo sendo arremessado para frente e vão rasgar a lata. E, aí, o cinto poderá surtir o efeito contrário. Você estará mais vulnerável do que se estivesse usando apenas o cinto subabdominal.

Com o apoio de cabeça, ocorre o mesmo. Se o banco não foi projetado para isso, acredite, você corre o risco de ter as costas perfuradas! Com o impacto na traseira, a cabeça vai forçar o apoio adaptado e pode fazer com que as duas hastes da regulagem de altura venham para frente, atingindo você e perfurando suas costas.

Lembre-se: equipamentos de segurança são importantes, mas só devem ser instalados em veículos nos quais as fábricas fizeram os testes com eles. Caso contrário, podem prejudicar mais do que ajudar. Por isso, esqueça as adaptações.

 

Deixe seu comentário: