Cobalt e Spin 2017, de alma nova

Cobalt e Spin

Se, para a linha 2017, a dupla Cobalt e Spin da Chevrolet não mudou nada por fora, na mecânica, a exemplo do que já aconteceu recentemente com o Onix e o Prisma, as modificações são substanciais. Começa pelo conhecido motor 1.8 EconoFlex, que foi reprojetado para se tornar mais econômico (o que era um de seus “calcanhares de Aquiles”) e recebeu o nome de 1.8 SPE/4 ECO. De quebra, ganhou também uns cavalinhos, melhorando o desempenho de ambos os modelos. Além disso, Cobalt e Spin agora são equipados com direção elétrica; tiveram as suspensões recalibradas; fizeram uma pequena dieta; ganharam caixa de seis marchas nas versões com câmbio manual; e algumas intervenções na aerodinâmica. Tudo em nome da economia de combustível. Segundo a GM, o Cobalt é até 21% mais econômico e o Spin até 30%, quando comparados aos modelos anteriores.

Outro detalhe interessante, é que todas as versões agora são equipadas com o OnStar. O sistema de conectividade é exclusivo da GM e, além da possibilidade de rastrear o veículo, auxiliando na recuperação do mesmo em caso de roubo ou furto (e por isso reduz o valor do seguro), tem novas funções, como navegação por setas e função diagnóstico, permitindo saber até a pressão dos pneus por meio de um celular.

Outra novidade é que os novos modelos, que estão chegando às concessionárias, só são vendidos com o motor 1.8. As versões com o motor 1.4, que também receberam as modificações, só estão disponíveis para vendas diretas.

 

Cobalt

Agora, o sedan médio compacto da Chevrolet só tem duas versões, a LTZ, com câmbio manual ou automático (ambos de seis marchas) e a topo de linha Elite. Todas são equipadas com o motor 1.8 SPE4/ECO que recebeu várias melhorias. Para diminuir os atritos internos, teve o conjunto de pistões, bielas e anéis redesenhados para ficarem mais leves e passa a usar um óleo menos viscoso (0W20); a taxa de compressão foi ajustada; a central eletrônica agora está com maior capacidade e 40% mais rápida; e novos sistemas de arrefecimento e de gerenciamento de energia elétrica.

O motor agora entrega 111 cavalos de potência (3 cavalos a mais que o antigo) e 17,7 kgfm (0,6 kgfm a mais) quando abastecido com etanol. O interessante é que, apesar de não ter tido um ganho expressivo no torque máximo, agora ele surge a 2.600 rpm ante 3.200 do modelo anterior. Detalhe que permite trocas de marcha mais cedo e retomadas de velocidade mais ágeis.

A suspensão também foi retrabalhada com novas molas, amortecedores e batentes. São novos também os cubos das rodas e a barra estabilizadora. O carro também ficou 10 milímetros mais baixo, diminuindo assim a área frontal e, consequentemente, melhorando a aerodinâmica.

26 cobalt ltz (1840 x 1228)
27 cobalt ltz (2088 x 1314)
25 cobalt ltz (1450 x 967)
30 cobalt ltz (1744 x 1164)
31 cobalt elite (1840 x 1228)
32 cobalt elite (1964 x 1310)
32 cobalt elite (1520 x 1015)
33 cobalt elite (1584 x 1056)
33 cobalt elite (1431 x 954)
34 cobalt elite (1448 x 965)
29 cobalt ltz (1584 x 1056)

Foi feito, também, um trabalho de aumento da rigidez e emagrecimento do monobloco, com o uso de aços de alta resistência e novo desenho de mais de 100 componentes, o que deixou o Cobalt 36 quilos mais leve. Além disso, agora todos são equipados com direção com assistência elétrica (que não rouba potência do motor), freios com menor arrasto, novos rolamentos e pneus do tipo verde, de menor atrito de rolamento. Além do novo câmbio manual de seis marchas, o automático, também de seis velocidades, teve sua estratégia de funcionamento aperfeiçoada para ter um comportamento mais suave, inclusive no modo Active Select, que permite fazer as trocas manualmente por meio de tecla na alavanca de seleção.

Um pacote de melhorias que, segundo a General Motors, permite um ganho de até 21% no consumo de combustível. De acordo com o padrão do Inmetro, o Cobalt 2017 pode fazer até 15,1 km/l na estrada e 12,1 km/l na cidade, com gasolina, e 10,4 km/l e 8,3 km/l, respectivamente, com etanol. E houve, ainda, uma melhora no desempenho: agora faz de 0 a 100 km/h em 10,5 s e chega aos 170 km/h.

Além do OnStar de série (veja todas as funções do sistema, de acordo com a versão, no link abaixo), o Cobalt tem o multimídia MyLink de nova geração, com tela de 7 polegadas, mais fácil de operar, permitindo a conexão com smartphones com sistema operacional iOS e Android.

 

Spin

O monovolume da General Motors, com configurações de cinco e sete lugares, foi o que acabou recebendo as maiores atenções. Além de duas novas versões, a LS de entrada e a Advantage, intermediária, agora com câmbio automático, ganhou, entre os carros produzidos no Brasil, uma inédita grade ativa do radiador.

Grade

A nova grade faz parte do sistema ECO da Chevrolet e tem como principal objetivo, reduzir o arrasto aerodinâmico por meio do controle de abertura e fechamento das aletas, diminuindo a entrada de ar para o vão do motor quando não é necessário.

O sistema é composto por uma estrutura externa, com palhetas transversais, que se abrem ou se fecham comandadas pela central eletrônica. Entre os benefícios, além do menor arrasto aerodinâmico, que diminui o consumo de combustível e melhora o desempenho, está o de reter calor no compartimento do motor, beneficiando a partida a frio com etanol.

01 spin adv (2355 x 1570)
04 spin adv (1847 x 1231)
02 spin adv (2510 x 1673)
05 spin adv (1842 x 1228)
06 spin adv (2264 x 1509)
09 spin adv (1660 x 1107)
08 spin adv (1190 x 1785)
10 spin adv (1980 x 1320)
03 spin adv (2566 x 1710)
11 spin act (1836 x 1224)
16 spin (1584 x 1056)
18 spin (1584 x 1056)
19 spin (1460 x 973)
20 spin (1584 x 1056)
15 spin (1584 x 1056)
14 spin (1584 x 1056)

O Spin também recebeu as mesmas melhorias mecânicas feitas no Cobalt. Só que ficou 33 quilos mais leve e, de acordo com a GM, o conjunto todo permitiu uma economia de até 30% em relação ao modelo anterior. Segundo dados do Inmetro, o Spin faz até 13,7 km/l na estrada e 11,8 km/l na cidade, com gasolina, e 9,4 km/l e 8,1 km/l, respectivamente, com etanol. E, segundo a GM, capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 10,6 segundos, quando abastecido com etanol.

No caso do Spin, a direção elétrica progressiva foi configurada para que o volante seja extremamente leve em manobras de estacionamento e mais firme em altas velocidades.

No total são seis versões do Spin: com cinco lugares tem a LS e LT, com câmbio manual, e a Activ e Advantage, com câmbio automático, enquanto que, com sete lugares, só está disponível na versão LTZ, com câmbio manual ou automático. Como no Cobalt, todas as configurações do Spin são equipadas com o OnStar, sistema da General Motos que oferece mais de 20 serviços de emergência, segurança, navegação, concierge e conectividade, além de assistência mecânica. O serviço, em três diferentes pacotes de acordo com a versão (veja no link abaixo cada um dos pacotes disponíveis), é gratuito por um ano, a partir da data de compra do veículo. Depois, será cobrada uma taxa que ainda não foi definida. Nas versões mais sofisticadas, o sistema multimídia MyLink tem tela de 7 polegadas sensível ao toque e Bluetooth, além de acessar aplicativos por meio do smarthphone.

 

Os preços:

 

Cobalt

LTZ                             R$ 62.190

LTZ aut.                     R$ 66.990

Elite aut.                    R$ 68.990

 

Spin (5 lugares)

LS                               R$ 57.990

LT                               R$ 61.490

Advantage aut.        R$ 66.990

Activ aut.                   R$ 69.990

 

Spin (7 lugares)

LTZ                             R$ 67.990

LTZ aut.                     R$ 71.990

 

Ficha Tecnica Cobalt 2017

Lista de equipamentos Cobalt 2017

OnStar Cobalt 2017

 

Ficha Tecnica Spin 2017 

Lista de equipamentos Spin 2017

OnStar Spin 2017

 

 Fotos: divulgação General Motors

Deixe seu comentário: