Renasce um ícone

Jaguar XKSS

Você sabe qual foi o primeiro superesportivo do mundo? O Jaguar XKSS, um bólido que em 1957 surpreendeu os especialistas e teve como clientes gente importante e fã do automobilismo, como o ator norte-americano Steve McQueen. Com um motor de seis cilindros em linha, com 3,4 litros de cilindrada, capaz de desenvolver 240 cavalos de potência e 33,1 kgfm, e um câmbio manual de quatro marchas, era capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 5,5 segundos e chegar aos 230 km/h de velocidade máxima. E virou um carro disputadíssimo pelos colecionadores.

Agora, a Divisão Jaguar Land Rover Classic irá produzir mais nove unidades com as mesmas especificações das 16 primeiras unidades do XKSS de 1957.

Mas, por que fazer esses carros 59 anos depois, exatamente iguais aos primeiros?

jaguar-d-type-01

É uma história interessante. Após vencer a famosa corrida 24 Horas de Le Mans, por três anos consecutivos (1955, 1956 e 1957), com o famoso D-Type, a Jaguar decidiu produzir 16 unidades do carro, mas em versão para andar na rua e destinadas a clientes especiais. Entre as alterações para a transformação em relação ao de corrida, o novo carro ganhou para-choques, um para-brisa mais alto, uma porta adicional ao lado do passageiro, vidros laterais, capota conversível, um bagageiro feito em tubos cromados, e teve a divisão entre os dois ocupantes e a asa estabilizadora traseira retiradas.

Jaguar_XKSS_Preview_Image_230316_01

As 16 unidades estavam praticamente prontas e deveriam ser todas exportadas para os Estados Unidos, mas um incêndio na fábrica da marca em Browns Lane, em 1957, destruiu nove delas. E são essas nove que serão construídas, manualmente, nas oficinas da Jaguar em Warwick.

As réplicas deverão estar prontas no início de 2017 e já estão destinadas a um grupo seleto de clientes e colecionadores.

Fotos: divulgação Jaguar Land Rover e Internet

Deixe seu comentário: