Peugeot em dose dupla

DSC_0679

Novo Peugeot 208

Se o mercado não está lá essas coisas, a ousadia acaba sendo uma boa arma para se destacar. Foi o que a Peugeot fez com o lançamento dos novos Peugeot 208 modelo 2017 e que pode ser chamado de dose dupla: a estreia do novo motor de três cilindros de 1,2 litros e uma nova versão, o Peugeot 208 GT, com motor turbo de 173 cavalos, um verdadeiro hot hatch.

Mas, vamos aos poucos. Hoje só vamos falar de uma dose: o novo motor de três cilindros, que ela anuncia como o mais econômico do Brasil. O GT fica para amanhã.

Para começar, a Peugeot promoveu uma pequena repaginada no visual de seu compacto premium, mas sem perder o DNA do modelo. A grade agora está mais larga e ganhou um friso cromado em volta; o para-choque dianteiro foi redesenhado, com nova moldura para as luzes de neblina; e os faróis, com máscara negra, também são novos. Ficou mais atual e com um jeito mais agressivo, que agrada. Lateralmente, rodas com novo desenho e na traseira, além do para-choque também redesenhado, as lanternas agora são em LED tridimensionais.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Internamente, as modificações foram bem modestas e se resumem a novos revestimentos. O destaque continua sendo o painel que conta com o exclusivo i-cockpit, um formato que deixa o quadro de instrumentos “por cima” do volante, sugerindo uma postura mais esportiva de dirigir. E, para ficar na moda, ganhou um novo sistema multimídia com tela de 7 polegadas, compatível com os sistemas MirrorLink, AppleCarPlay e o link MyPeugeot que oferece vários serviços ao proprietário.

ALTA-4535

A cereja do bolo é o novo motor de três cilindros de 1,2 litro de cilindrada, chamado de PureTech, que entrega 90 cavalos de potência e 127 Nm de torque, com etanol, e 84 cavalos e 120 Nm de torque, com gasolina. Moderno, tem quatro válvulas por cilindro, duplo comando de válvulas variável, sistema de arrefecimento separado para bloco e cabeçote, e sistema de partida a frio com aquecimento que dispensa o tanquinho auxiliar de gasolina. Segundo a Peugeot, ele é 25 quilos mais leve, 35% mais econômico e apenas 3 cavalos a menos que o motor 1,5 de quatro cilindros, do atual 208, que deverá ser descontinuado.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Acoplado a um câmbio manual de cinco marchas, ele irá equipar as versões de entrada do 208. Durante o bom test-drive realizado de Fortaleza à cidade de Aquiraz (*), com trechos de cidade e estrada, ele surpreende, já que tem um bom torque em baixas rotações, permitindo acompanhar o fluxo de trânsito tranquilamente. Na estrada, mesmo com três pessoas a bordo, ar condicionado ligado a “pleno vapor” para enfrentar uma temperatura externa de 38 graus e mantendo as velocidades permitidas, enfrentou subidas sem pedir muitas reduções de marcha. Dá a impressão de ser um motor de maior cilindrada.

Teve até uma brincadeira entre os jornalistas para ver quem era o “mais econômico”, em um trecho de estrada de 15,4 km, aberta ao tráfego normal, com velocidades que iam de 40 a 80 km/h, com subidas fortes, rotatórias e até lombadas. Enfrentei o “desafio” com o ar condicionado desligado, vidros fechados e mais de 40 graus no interior do carro. Mas, depois de 18 minutos, consegui fazer 26,3 km/l no trecho! Tudo bem, era uma prova especial, mas deu para sentir as possibilidades do tricilíndrico da Peugeot.

DSC_0711

Os novos modelos deverão estar nas concessionárias a partir do próximo dia 1º de maio. Além das versões “normais” e da GT, para atender um público que não faz questão do desempenho mas curte um visual esportivo, foi criada uma com o nome de Sport, com o motor 1,6 litro aspirado e câmbio manual de cinco marchas (o GT tem manual de 6 marchas). Enfim, não são dos mais baratos, mas quando comparados aos concorrentes em igualdade de equipamentos, na chamada relação custo/benefício, acabam se saindo bem.

 

Preços:

208 Active 1,2 manual                   R$ 48.190

208 Active Pack 1,2 manual         R$ 51.690

208 Allure 1,2 manual                   R$ 54.990

208 Allure 1,6 automático            R$ 59.090

208 Sport 1,6 manual                    R$ 60.890

208 Griffe 1,6 automático             R$ 64.590

208 GT 1,6 THP manual                R$ 78.990

 

(*) O jornalista viajou a convite da Peugeot

 

Fotos: divulgação Peugeot/Pedro Bicudo e Emilio Camanzi

5 comentários em “Peugeot em dose dupla

  1. Olá, Emílio!

    Que bom que encontrei seu blog.
    Gostaria de lhe parabenizar (e agradecer) pela iniciativa, pois estava sentindo falta de seus criteriosos comentários. Desejo muito sucesso e espero que, em breve, possamos acompanhar vídeos de suas análises.

    Um forte abraço.
    Sucesso.

  2. Emílio , qual a média que o Peugeot 208 1.2 fez com três pessoas a bordo com ar ligado ? O custo benefício dele vale a pena ?

    1. Caro Reginaldo
      Somente andei com o carro durante um test-drive de apresentação, na estrada e sem nenhum parametro de comparação. Mas o Peugeot conseguiu fazer entre 16/17 km/l sem nenhuma preocupação com o consumo, porém obedecendo os limites da estrada. Em um teste que eles fizeram com o Instituto Mauá, com tanque lacrado, foram de São Paulo a Brasilia com um tanque de combustível (e ainda sobrou quando chegou lá), fazendo média de 21 km/l (usando o ar-condicionado e também obedecendo os limites da estrada). Realmente com esse motor o carro ficou economico, mas estou esperando chegar um para avaliação, usando-o dentro dos meus parâmetros para ter uma ideia melhor.
      Um abraço

    1. Caro Douglas
      O curso é um pouquinho longo, mas nada que atrapalhe, já que os engates são precisos e macios.
      Abraço

Deixe seu comentário: