Dois alemães de peso

Mercedes GLC 250 e GLE 400 4Matic

Dólar em alta, crise econômica no país… E o segmento de carros premium vai bem, obrigado! Que o diga a Mercedes-Benz, que logo no início do ano já apresentou duas novidades de peso para o nosso mercado: os novos GLC 250 e o GLE 400.

Novidade para o Brasil, já que eles apareceram nos principais salões mundiais do ano passado e estão sendo vendidos há mais de cinco meses no mercado europeu e norte-americano. Aqui, estarão nas concessionárias a partir deste mês de fevereiro.

GLC 250 4Matic

O GLC estará disponível em duas versões: 250 4Matic e 250 4Matic Sport, com acessórios AMG, a divisão esportiva da marca. Ele é a segunda geração do utilitário esportivo médio da Mercedes-Benz. Inteiramente novo, feito em cima da plataforma do Classe C, ganhou a designação GLC e substitui o anterior GLK.

Apesar de um jeito mais “quadradão” de ser, o GLC tem um coeficiente aerodinâmico de 0.31, um valor muito bom para um utilitário esportivo. Mirando um público de 40 a 60 anos, com família, o GLC ficou maior por dentro graças aos 11,8 centímetros a mais de distância entre-eixos, além de ganhar 80 litros na capacidade do porta-malas em relação ao modelo que substitui. Sem contar que ficou mais leve em 80 quilos, graças à combinação de alumínio com aços de alta resistência na construção da carroceria.

GLC (3) (1771 x 1181)

As versões disponíveis aqui vêm com uma nova suspensão pneumática ativa, que, aliada à transmissão integral 4Matic, garantem um bom desempenho no asfalto e, também, habilitam o SUV para um off-road. O câmbio automático 9G-Tronic também é novidade e vem com borboletas atrás do volante para trocas sequenciais.

GLC (9) (1771 x 1181)

Outra atração nesse modelo é o Dynamic Select, que permite ao motorista escolher entre cinco modos diferentes de condução: o Sport+; Sport; Comfort; ECO; e Individual. O sistema altera a resposta do motor, câmbio e suspensão. O motor é um 2.0 turbo, com 211 cavalos de potência, que garante um bom desempenho: faz de 0 a 100 km/h em 7,3 segundos e chega aos 222 km/h de velocidade máxima, limitada eletronicamente. Apesar disso, segundo a Mercedes-Benz, o GLC consegue ser 19% mais econômico que a versão anterior.

 

GLE 400 4Matic Coupé

Esse é o “diferentão” da turma. Ele é apresentado como sendo um veículo que combina a esportividade dos cupês com a versatilidade e robustez dos SUVs.  Uma “mistura” meio estranha que foi lançada pela BMW com o X6, do qual ele é concorrente direto. Enfim, um estilo que também tem seus seguidores e mira no público masculino entre 30 e 40 anos.

A aparência também é a mais esportiva possível, com direito a escapamento duplo, rodas de 21 polegadas e pneus bem largos. Também vai estar disponível em nosso mercado a partir deste mês, em duas versões: a GLE 400 4Matic Coupé e a GLE 400 4Matic Coupé Night, esta última com vários detalhes externos e internos em preto, que lhe dão uma conotação mais esportiva ainda.

Com exatos 4,90 metros de comprimento, o GLE oferece muito conforto para quatro adultos, sendo que quem vai no meio do banco traseiro sofre com o ressalto no assento, túnel de transmissão e fim do console. Apesar do estilo da carroceria com o teto arqueado, o porta-malas é tamanho família: 650 litros de capacidade.

GLE (7) (1771 x 1181)

O câmbio também é o 9G-Tronic de nove marchas, acoplado à transmissão permanente nas quatro rodas 4Matic. O motor é um V6 de 3.0 litros biturbo que entrega 333 cavalos. Também tem o sistema Dynamic Select que permite cinco modos diferentes de condução, de acordo com a vontade do freguês, atuando na resposta do motor, câmbio e suspensão, que também é do tipo pneumática Airmatic. Difere do modelo GLC em uma das funções: a Slippery, para ser usada em superfícies de baixos coeficientes de atrito, como lama, neve ou gelo. O desempenho para um grandalhão como ele não deixa a desejar: 0 a 100 km/h em 5,9 segundos e máxima de 247 km/h, também limitada eletronicamente.

 

Como andam

O test-drive foi pequeno e, ainda por cima, dividido com outro jornalista. Foi em torno de 100km com cada carro, 50 dirigindo e 50 de carona. Por causa disso, não foi possível fazer uma avaliação mais profunda, mas deu para sentir que, em ambos, o conforto é o típico da marca: interior sofisticado, agradável e o barulho externo fica mesmo do lado de fora.

O GLC, menor e mais leve, mostrou-se mais dócil e obediente, principalmente na agilidade em curvas, ficando mais próximo do comportamento de um sedã. O GLE, por sua vez, ressente-se um pouco do tamanho e, principalmente, da altura. Balança um pouco mais do que seria de se esperar quando as curvas são mais fechadas ou em mudanças rápidas de faixa. Pelo menos, baixa em 15 milímetros a suspensão quando está em alta velocidade, o que melhora um pouco a sensação. O lado bom é que, a todo o momento, mostra a força de seu motor com respostas e retomadas rápidas e recheadas com um ronco muito agradável e instigador. Típico de um bom motor em “V”.

 

Os preços:

GLC 250 4Matic                              R$ 222.900

GLC 250 4Matic Sport                    R$ 265.900

GLE 400 4Matic Coupé                  R$ 415.900

GLE 400 4Matic Coupé Night        R$ 425.900

 

GLC 250 4MATIC – Ficha Técnica, equipamentos de série e opcionais

 

GLE 400 4MATIC COUPÉ – Ficha Técnica, equipamentos de série e opcionais

 

Fotos: Emilio Camanzi, Divulgação Mercedes-Benz / Estúdio Malagrine

Deixe seu comentário: